Elas queimam o filme do candidato

Algumas pessoas exageram um pouco nas suas qualidades nos currículos. Seja por desespero ou despreparo, a maioria dos recrutadores conhecem técnicas para desmascarar essas mentiras e reprovam essa atitude.

Muitos recrutadores estão dispostos a aceitarem candidatos inexperientes para ocuparem vagas que não são tão exigentes, proporcionando a oportunidade de aprender e crescer dentro da empresa, se o candidato, mente, porém, já perde essa oportunidade.

Não minta no seu currículo! Pode parecer difícil encontrar o emprego ideal com a situação atual de crise, mas é preciso tomar sempre alguns cuidados: mentir no currículo queima o seu filme e pode trazer muitos transtornos.

De cada dez currículos que chegam às empresas, quatro têm informações supervalorizadas e outros dois têm dados falsos.

Em alguns casos um recrutador pode aprovar um candidato que não tenha todas as qualificações exigidas para a vaga com a ideia de que ele possa desenvolver tal habilidade. Porém, se descobrir uma mentira, esse candidato será não só eliminado do processo seletivo em questão, mas de qualquer outro processo daquela empresa.

Essa são as áreas onde os candidatos mais mentem:

  • formação acadêmica: incompleta ou ausente, essa é a mentira mais contada;
  • fluência em idioma estrangeiro: alguns profissionais entendem que colocar a língua estrangeira no currículo é essencial para serem chamados para a entrevista. Mas um simples teste oral na hora da entrevista ou logo nos primeiros meses após ser contratado revelam a mentira;
  • falsa experiência na área em que deseja atuar;
  • acréscimo de atribuições no cargo anterior: muitos profissionais supervalorizam qualidades e atribuições, porém, um telefonema para a antiga empresa revela que não é verdade;
  • últimos cargos supervalorizados;
  • salário anterior;
  • maior tempo de permanência na antiga empresa;
  • curso de informática;
  • participação inexistente em trabalhos voluntários;
  • garantia de mobilidade e flexibilidade;
  • estado civil e idade.

Prefira sempre a sinceridade: talvez você perceba que seu currículo possui alguma deficiência. Nesse caso, procure resolvê-la. Se o seu inglês não é tão bom assim, deixe claro que possui inglês básico, mas que está estudando essa língua estrangeira. Essa é uma alternativa melhor a ter a sua fluência testada em uma entrevista em outra língua, por exemplo.

Algumas empresas exigem do candidato certificados que comprovem as experiências e competências que ele afirma ter. É melhor para todos os envolvidos quando as informações apresentadas tratam da realidade. Mesmo que o candidato não tenha experiência, é interessante deixar claro que tem força de vontade e capacidade para ocupar o cargo almejado.

Invista em uma pós-graduação de qualidade e veja suas oportunidades multiplicarem. A Farese oferece mais de 900 cursos de pós-graduação, acesse e saiba mais!

agencia